Em dia mais quente do ano, praias da Inglaterra lotam; onda de contágio preocupa

No dia mais quente do ano, com temperaturas acima de 30°C, as cidades de Bournemouth e Brighton, que ficam ao sul da Inglaterra, viram suas praias ficarem lotadas nesta quarta-feira (24), em meio à pandemia do novo coronavírus.

Os números de casos diários de Covid-19 tiveram uma queda nas últimas semanas, mas cientistas alertam que aglomerações podem gerar uma segunda onda de contaminação no país. As informações são do G1.

De acordo com o governo britânico, as recomendações como uso de máscara e distanciamento social de pelo menos dois metros ainda vigoram no território inglês. No entanto, as pessoas que foram à praia nesta quarta ocuparam praticamente toda a extensão das faixas de areias. 

Vale lembrar que o Reino Unido foi um dos países mais atingidos pelo coronavírus na Europa, com cerca de 308 mil casos e 43 mil óbitos registrados em decorrência da Covid-19, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. 

Uma reportagem do jornal “The Guardian” aponta que o índice R, que mede a taxa de circulação do vírus, está próximo a 1 no Reino Unido. Caso ultrapasse esse valor, como é o caso de alguns lugares do país, as medidas de restrição devem permanecer. 

A ideia do governo da Inglaterra, liderado por Boris Johnson, é reabrir estabelecimentos como pubs, restaurantes e salões de cabelereiros a partir do dia 4 de julho. Não poderiam funcionar cademias de ginástica, piscinas, pistas de boliche, danceterias, pistas de boliche e spas.

No entanto, o próprio governo divulgou uma nota, na última terça-feira (23), afirmando que “não hesitaria” em retomar medidas mais rígidas de isolamento, caso o vírus volte a “sair do controle” no país.