Visual do novo Creta pode ser diferente no Brasil

Segunda geração do utilitário esportivo trouxe visual polêmico aos mercados de China e Índia. Rússia quer outro caminho

A segunda geração do Hyundai Creta foi apresentada recentemente. Seguindo a nova linguagem visual da marca, o modelo adotou faróis divididos e o resultado foi polêmico tanto para os chineses quanto para os indianos, os dois primeiros mercados a receber a novidade. Mas nem todos estão contentes com isso.

Na Rússia, por exemplo, o site Kolesa reportou que o chefe da operação da Hyundai naquele país, Alexey Kalitsev, afirmou que a nova geração do Creta feita por lá na fábrica de São Petesburgo deverá ser apresentada em meados de 2021. “Posso dizer com 100% de certeza que nova a geração do Creta russo terá diferenças significativas (em relação aos demais). Será um projeto totalmente novo”, afirmou o executivo.

Por lá, o Hyundai Creta foi lançado em 2016 e, desde então, é o modelo mais vendido de seu segmento. Apesar de a nova geração do modelo russo ter o potencial de trazer um visual bastante diferenciado dos modelos apresentados na China, Kalitsev afirmou que “o motor 1.6 (igual ao do modelo brasileiro) é um clássico e é ideal para proposta do carro”, sem citar a introdução de propulsores mais modernos.

Com isso, fica aberta a possibilidade de que o novo Hyundai Creta fabricado no Brasil, quando chegar, tenha um visual mais distante do visto na China na Índia em favor de linhas mais convencionais, caminho que deve ser o seguido na Rússia. Com a afirmação do executivo russo, é clara a intenção de manter o atual motor 1.6, o que ainda economizaria custos para a filial brasileira, mas deixaria de fora o novo propulsor 1.4 turbo a gasolina utilizado na Ásia em conjunto a uma transmissão automatizada de dupla embreagem e 7 velocidades.